Paranaguá

Fonte Velha

Também chamada de "Fontinha" e "Fonte de Cima", sua construção remonta ao século XVII e sofreu várias modificações e acréscimos posteriores. Durante 200 anos as casas da Vila e Cidade de Paranaguá foram servidas pelos "aguadeiros" que abastecendo na fonte, transportavam a água em uma carroça, recebendo dos usuários 100.000 réis por barril. Isto ocorreu até 1914, quando foi inaugurada a rede de água e esgoto. A fonte foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1964.
Uma lenda conta que, protegendo o manancial do fundo escuro e misterioso do subsolo onde jorra incessantemente água, há uma caixa que se alonga em galeria, atravessando a cidade no sentido Leste-Oeste, até a localidade denominada Porto dos Padres. Dizem que a saída servia de refúgio aos Jesuítas, quando da perseguição provocada pela Lei Pombalina, que baniu a Ordem do Brasil. Está localizada na Praça Pires Padrinho - Centro Histórico.

  • Fonte Velha – Serviu por mais de 200 para os agueiros abastecerem a Vila de Paranaguá
  • Fontinha de Paranaguá – Tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1964
  • Fontinha de Paranaguá – Construção que remonta ao século XVII
  • Fonte Velha – Paranaguá –  Galeria de acesso para dos agueiros que abasteceram a Vila de Paranaguá por mais de 200 anos
  • Fonte de Cima de Paranaguá – construção do século XVII

Casa Elfrida Lobo

Construída no final do século passado, mostra a majestosa arquitetura de sua época, através da beleza de sua fachada, suas portas, janelas em arco, seus balcões ornados de belos gradis de ferro gusa e seu primoroso jardim. Abriga em seu interior o Centro de Letras, Coral Asa Branca, Conselho da Mulher e um atelier de artes plásticas e restauração. Localiza-se na Rua Dr. Leocádio, no Centro Histórico.

  • Casa Elfrida Lobo

Casa da cultura Monsenhor Celso

Construído em fins do século XVIII era morada do músico Brasílio Itiberê da Cunha e seu irmão Celso Itiberê da Cunha (Monsenhor Celso). O monumento foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1972. Esta casa está ladeada por um conjunto de construções coloniais. São ao todo três casas térreas e dois sobrados dos quais se destaca um setentista que pode ser considerado a melhor obra de resistência colonial da cidade.
A Casa de Monsenhor Celso ainda conserva em sua fachada as esquadrias em pedra lavrada e em seu interior e as conversadeiras (antigos bancos de pedra). No prédio hoje funciona a Casa da Cultura, onde mensalmente é realizada exposição de artistas plásticos de diversas regiões do Brasil e do Mercosul. O sobrado após reforma e restauração abriga a Casa da Música "Brasílio Itiberê". Está localizada no Largo Monsenhor Celso 23 - Centro Histórico.

  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso
  • Casa da cultura Monsenhor Celso

Casa do Homem do Mar

Prédio da antiga Alfândega de Paranaguá, construída no final do antigo Boulevard Serzedelo, hoje Avenida Coronel José Lobo. Sua pedra fundamental foi lançada em 1903 e sua inauguração foi em 28/10/1911. A Alfândega foi desativada em 1975. O prédio, hoje reformado, é a Caso do Homem do Mar e sede da Sociedade dos Amigos da marinha do Paraná - SOMAR.

Palácio Visconde de Nácar

Construído em 1856, a antiga residência do Visconde de Nácar foi sede da Prefeitura Municipal e depois da Câmara Municipal de Paranaguá. Apesar das diversas reformas e adaptações, possui características arquitetônicas neoclássicas valendo-se notar a boa conservação, em suas paredes de telas pintadas a óleo de razoável valor histórico e artístico. O prédio foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1966. Em seu Interior nos fundos, onde os escravos eram aprisionados, existe até hoje vestígio de uma antiga senzala. Está localizado na Rua Visconde de Nácar - Centro Histórico.

  • 3 Palácio Visconde de Nacar
  • 4 Palácio Visconde de Nacar
  • Palácio Visconde de Nácar
  • Palácio Visconde de Nácar
  • Palácio Visconde de Nácar
  • Palácio Visconde de Nácar

Palácio São José (Prefeitura Municipal)

Antigo colégio dirigido por irmãs de caridade, instalou-se em Paranaguá no ano de 1903. Em 1978, o prédio foi adquirido pela Municipalidade e passou a ser sede da Prefeitura Municipal, com sua inauguração no dia do aniversário da cidade, 29 de julho de 1980. Está localizado na Rua Júlia da Costa.

Mercado Municipal do Café

Construção do fim do século XIX, um misto de art-nouveau com classicismo, todo em ferro fundido trabalhado em arco e rendilhados. Atualmente oferece refeições com frutos do mar e o artesanato litorâneo. Localiza-se na Rua General Carneiro ou Rua da Praia.

  • Mercado Municipal do Café
  • Mercado Municipal do Café

Mercado do Artesanato - Mercado Municipal Brasílio Abud

Construído na primeira década do século XX, no estilo Neo-Renascentista como mercado do peixe, então situado as margens do Rio Itiberê, servindo aos pescadores e a comunidade. Localiza-se na Rua General Carneiro ou Rua da Praia.
Inaugurado em 1982, seu nome homenageia antigo Prefeito de Paranaguá. Ocupava uma área de 2150 m2, possuindo boxes para venda de pescados, produtos hortifrutigranjeiros, além de salas para administração, açougue, lanchonete e outros serviços. Foi recuperado e atualmente tornou-se um ponto de venda do trabalho artesanal típico do litoral. Atualmente todo o comércio de produtos artesanais foi transferido para o Mercado Municipal Nilton Abel de Lima.

  • 5 Mercado Municipal Brasílio Abud
  • 6 Mercado Municipal Brasílio Abud
  • Mercado do Artesanato
  • Mercado do Artesanato
  • Mercado do Artesanato
  • Mercado do Artesanato

Estação Ferroviária

Obra iniciada no dia 5 de junho de 1880, data em que foi lançada a pedra fundamental, na presença de D. Pedro II e da Imperatriz do Brasil. Foi inaugurada em 1885. É o ponto inicial da Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba. No ano de 2001 passou por reformas. Localiza-se na Avenida Arthur de Abreu.

  • 1 Estacao Ferroviaria
  • 2 Estacao Ferroviaria
  • 3 Estacao Ferroviaria
  • 4 Estacao Ferroviaria
  • 5 Estacao Ferroviaria
  • 6 Estacao Ferroviaria
  • 7 Estacao Ferroviaria
  • 8 Estacao Ferroviaria

Rua da Praia

Local onde se encontra a maior concentração de sobrados coloniais, testemunhos fiéis de todo o passado parnanguara. Estes seculares casarios da Rua General Carneiro mostram ainda linhas e formas de colonização portuguesa. Localiza-se em paralelo com a margem esquerda do rio Itiberê. Merece destaque a Praça Newton D. de Souza com seu bonito mural sacro de São Francisco das Chagas, do artista parnanguara Emir Roth.

  • Rua da Praia
  • Rua da Praia
  • Rua da Praia
  • Rua da Praia
  • Rua da Praia

Palácio Mathias Böhn

Sobrado construído no final do século XIX para se tornar residência do Senhor Mathias Böhn, rico comerciante alemão que se estabeleceu no município. Foi a primeira sede da Prefeitura de Paranaguá, agência de rendas e atualmente estação náutica.

  • Palácio Mathias Böhn
  • Palácio Mathias Böhn
  • Palácio Mathias Böhn
  • Palácio Mathias Böhn

Casa da Música Brasílio Itiberê

  • Casa da Música Brasílio Itiberê
  • Ain't Got No, I Got Life - Nina Simone
  • Ain't Got No, I Got Life - Nina Simone
  • Casa da Música Brasílio Itiberê
  • Casa da Música Brasílio Itiberê

Alfândega de Paranaguá

  • Alfândega de Paranaguá
  • Alfândega de Paranaguá
  • Alfândega de Paranaguá

Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha

  • Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha
  • Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha
  • Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha
  • Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha

Mercado Municipal do Peixe

  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982 - Painel do artista plástico Emir Roth ornamenta o saguão de entrada.
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982 - Painel do artista plástico Emir Roth ornamenta o saguão de entrada.
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982
  • Mercado Municipal Brasilio Abud – Novembro de 1982

BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Sua História

Os 86,5 km da BR 277 que correspondem à transposição da Serra Do Mar compõem um capítulo à parte na história da rodovia, pois foram fruto de uma urgente demanda por infraestrutura no estado. Em meados do século, transcorridos quase setenta anos da conclusão da Estrada Da Graciosa, esta já se encontrava saturada e não mais permitia uma locomoção à altura das cargas entre o porto e a capital; bem como dos veranistas, que na época ainda não eram tão numerosos. Operando também a estrada de ferro na sua máxima capacidade, formava-se um gargalo atravancando o desenvolvimento paranaense, que apenas em 1946 vislumbrou saída com os primeiros estudos para a construção da então chamada “BR 35 – Leste”. Foi escolhido para sua extensão o lado oposto da mesma “garganta” que outrora deu passagem aos primeiros povoadores de Curitiba, na qual se assenta o antigo Caminho Do Arraial.
Somente em 05/05/1950 foram iniciadas as obras, a cargo da firma Lysimaco Da Costa & Irmão, a qual viria a executar 12.611.565.781m³ de terraplanagem. Finda essa etapa, o DER assumiu com entusiasmo a condução dos trabalhos visando cumprimento da promessa eleitoral do governador Ney Braga, quem hoje cede oficialmente o nome à estrada, conforme lei de 2001. Anteriormente houve a sugestão de alguns intelectuais para que se chamasse Dom Pedro II, homenageando este que foi o primeiro chefe de estado a cruzar a serra, em 1880. Tão inóspito era o trecho serrano que às vezes os operários ficavam isolados, sem receber materiais e víveres durante breves períodos.
Os 230 dias de chuva ao longo do ano de 1967 prejudicaram a já tardia conclusão do asfalto e sua inauguração, que só se deu em 06/04/1968 com uma das pistas ainda incompleta. O modelo de contrato com as empresas participantes contribuiu para a demora, pois este as remunerava pelo tempo de serviço. Tanto dinheiro gasto em tão poucos resultados atraiu a atenção da imprensa nacional, através de ácidas reportagens da revista Panorama e do jornalista David Nasser para o Cruzeiro. A reviravolta que acelerou o andamento das obras veio quando o governo, instruído por um conhecido advogado carioca, passou a soltar as ordens de serviço todas de uma vez, obrigando as empreiteiras a fazer fortes investimentos em maquinário para poder cumprir o que fora contratado No local de maior beleza na serra foram feitos dois grandes viadutos, o Caruru – última obra a ser concluída – e o dos Padres – que é a estrutura mais extensa. Ao cortar a faixa inaugural, no km 0 em Paranaguá, o presidente Costa E Silva se admirou com a grandeza da estrada e brincou dizendo que gostaria de percorrê-la a pé. Mais tarde se dirigiu ao ponto final dela, sendo bem recebido pelo povo no Centro Politécnico da capital. Foi grande a satisfação dos trabalhadores, à quem as empreiteiras ofereceram uma churrascada em comemoração ao fim da obra. Duas horas de ser a via concedida ao tráfego, saiu da rodoviária (na época o Terminal Guadalupe) o primeiro ônibus da Viação Graciosa com destino a Paranaguá, tendo seu preço reduzido de NCr$ 2,40 para NCr$ 1,65; e seu percurso diminuído em 40min comparando-se à rota anterior.
A facilitação do transporte possibilitou de imediato um aumento em 20% nas exportações pelo porto de Paranaguá. Só então o litoral paranaense vivenciou um êxtase imobiliário e um crescimento do turismo, antes pouco expressivo. A duplicação veio 20 anos depois por obra da empreiteira C. R. Almeida, que aproveitou as estruturas deixadas pelos construtores para os novos viadutos e pontes. Contudo atualmente uma nova saturação se aproxima, criando a possibilidade de que futuras soluções venham a impactar o meio ambiente na Serra Do Mar e nas praias. Exemplos disso são os projetos de duplicação da PR 407, a criação do porto de Pontal Do Sul e do trecho paranaense da BR 101; que entre outras ideias, contariam com grande anuência de órgãos ambientais.
Concessão – Anel de Integração do Paraná
Em 1997 esta e demais rodovias do estado passaram por um processo de concessão, formando o Anel de Integração do Paraná. Desde então a BR-277 é operada por quatro concessionárias de rodovias. Partindo do Km 0 em Paranaguá até Curitiba, é operada pela empresa Ecovia, uma subsidiária da empresa EcoRodovias. O trecho seguinte, de Curitiba até o Km 140 em São Luiz do Purunã, é operado pela RodoNorte, subsidiária da Companhia de Concessões Rodoviárias. A concessionária Caminhos do Paraná opera o Lote 4, de São Luiz do Purunã até Guarapuava. E de Guarapuava a Foz do Iguaçu, o Lote 3 é operado pela concessionária Ecocataratas, outra subsidiária da EcoRodovias. Todos os contratos de operação dos lotes tem validade de 24 anos.

Fonte: Rubens Roberto Habitzreuter. “A Conquista Da Serra Do Mar". 2000 - Biblioteca Pública Do Paraná.

No dia 23 de setembro de 2014, às 11 horas foi inaugurado e liberado para tráfego o viaduto construído na BR 277 no km 29, acesso para Morretes. O viaduto é mais uma importante obra que contempla Morretes, e o Nosso Litoral Do Paraná como um todo, facilitando o fluxo e segurança de todos os usuários que trafegam diariamente na região principalmente na alta temporada.

  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 - Curitiba - Paranaguá - Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br
  • BR-277 – Curitiba – Paranaguá –Viaduto Km 29 – Foto: www.nossolitoraldoparana.com.br

Câmara Municipal

  • Câmara Municipal

Casa Cecy

  • Casa Cecy
  • Casa Cecy
  • Casa Cecy